MANUTENÇÃO E INSTALAÇÃO ELETROELETRÔNICA INDUSTRIAL E RESIDENCIAL, REFRIGERAÇÃO E SERVIÇOS GERAIS

5/5

Qualificação Técnica:
Nossa empresa é especializada na prestação dos seguintes serviços:
1 - Manutenção e instalação eletroeletrônica industrial e residencial;
2 - Venda e manutenção de ar condicionado;
3 - Administração de suprimentos;
4 - Administração de condomínio;
5 - Serviços gerais.

-

Geraldo Ferreira da Paixão – Engenheiro Eletricista.

CREA 36669/D

Nossas soluções são inteligentes e personalizadas para atender as suas necessidades!

Nossos Serviços

Instalação e manutenção elétrica residencial

Manutenção e instalação elétrica industrial

Instalação e manutenção de ar condicionado

Administração de condomínios

Suprimentos

Serviços Gerais

Últimas Notícias

CONSEQUÊNCIAS DO CHOQUE ELÉTRICO

O Choque Elétrico é a passagem de uma corrente elétrica através do corpo, utilizando-o como …

Continue Lendo...

COMPUTAÇÃO DE ALTA PERFÓRMANCE

A Computação de Alta Performance – HPC (do inglês, High Performance Computing), é uma tecnologia …

Continue Lendo...

COMPUTAÇÃO EM NUVEM

Computação em nuvem (em inglês cloud computing), é a disponibilização de todos os arquivos na …

Continue Lendo...

Videos

logo_transp

O que a sua precisa?

Somos especialistas em estudar, projetar, executar serviços de campo, gerenciar e prestar serviços de consultoria em eletricidade.
Com isso, conseguimos gerar inúmeros benefícios para você e para a sua empresa. Conheça os principais:

Rua Euclides da Cunha, 410 – Apto. 102. CEP. 35162-364 – Cidade Nobre – Ipatinga/MG.

(31) 3822-1550   (31) 99988-0131 (whatsapp)

Ser referência na área de engenharia por meio dos serviços executados sempre visando a exatidão e o compromisso com clientes e colaboradores. 

O conteúdo dos textos deste site é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. Crime de violação de direito autoral – artigo 184 do Código Penal – Lei 9610/98 – Lei de direitos autorais.

Site Desenvolvido por Web Clicks Cloud Jelastic – CNPJ: 29.880.872/0001-73 | Todos os Direitos reservados a GP Serviços Engenharia.

Instalação e manutenção elétrica residencial

A instalação elétrica é uma das etapas mais importantes na construção e reforma de uma casa. Se não for feita com qualidade pode acabar gerando despesas extras. A eletricidade quando mal aplicada pode gerar perigo, como tomar um choque elétrico e provocar incêndios e até acidentes fatais. A melhor forma de convivermos em harmonia com a eletricidade é conhecê-la, tirando dela o melhor proveito, desfrutando de todo seu conforto com a máxima segurança .Numa instalação ou manutenção residencial, devem ser considerados os seguintes itens:

1 – Levantamento de potências – O levantamento das potências necessárias para uma instalação elétrica residencial é feito com base na quantidade de pontos de luz e tomadas que serão instaladas na residência, levantando-se o total de cargas e consequentemente a potência total para a instalação, de acordo com a NBR5410 de 2004 item 9.5.2.

2 – Levantamento dos Pontos de Iluminação – Conforme Norma NBR5410.

3 – Levantamento dos pontos de tomadas – Pontos de tomadas são aqueles nos quais são ligados a maioria dos aparelhos e equipamentos residenciais. Um ponto de tomada pode ter uma ou mais tomadas de corrente e podem ser de uso específico ou de uso geral..

4 – Tipo de Instalação, Tensão de Alimentação e Padrão de Entrada – A instalação pode ser monofásica, bifásica ou trifásica, dependendo da potência total calculada. Para potência até 12000W, a instalação deve ser monofásica, entre 12000 a 25000W bifásica e de 25000 a 75000W, trifásica.

5 – Quadro de distribuição (QD) – O quadro de distribuição (QD), também chamado de quadro geral, é o controlador de energia da unidade residencial. Nele são recebidos os fios que vêm do ramal de ligação, é montado o sistema de proteção e dele saem todos os circuitos de alimentação para lâmpadas, tomadas, chuveiros, aquecedores, máquina de lavar, forno de micro-ondas etc. Deve ser montado em local de fácil acesso e o mais perto possível do medidor

6 – Disjuntores termomagnético e diferencial residual.

7 – Circuito de Distribuição e Circuitos Terminais.

8 – Condutores Elétricos – Os condutores elétricos (fios e cabos elétricos) representam um dos itens mais utilizados nas instalações elétricas residenciais. Os condutores se apresentam de formas e formatos variados, devendo o projetista e instalador conhecer todas as características construtivas e técnicas do material. Esse conhecimento é de grande importância para a qualidade, economia e segurança da instalação. . Os cabos e fios elétricos são projetados para durar de 20 a 25 ano, dependendo é claro, da carga e temperatura que serão submetidos. Hoje temos fios e cabos que resistem até 20% a mais de temperatura, dependendo da sobrecarga que são submetidos.  

Técnico Eletricista – Deverá possuir experiência comprovada em instalação e manutenção elétrica residencial.  Deverá ser capaz de efetuar levantamento e leitura de circuito elétrico residencial, bem como efetuar serviços de montagem e manutenção elétrica. utilizando as Normas da ABNT correspondentes e padrões técnicos operacionais.para o serviço, bem como utilizar as recomendações de segurança indicadas. O funcionário deverá zelar pelos equipamentos e aparelhos elétricos utilizados para a execução dos serviços, cuidando dos mesmos e devolvendo-os ao almoxarifado após a utilização.

Instalação e manutenção elétrica industrial

As instalações elétricas industriais, se denominam como um dos campos mais importante de uma indústria, pois a mesma desempenha um papel fundamental de fornecer energia para o seu funcionamento. A maioria das grandes indústrias, principalmente as de fabricação de produtos, necessita de grande quantidade de energia para realizar o seu trabalho. Para receber estas elevadas quantidades de energia, é necessário que se faça uma preparação e adequação do ambiente o qual receberá a mesma. Contudo, existem recomendações e normas técnicas (ABNT) e NR-10 que estabelecem padrões para a utilização e consumo de pequenas e grandes quantidades de energia, trazendo para os consumidores mais segurança e qualidade no serviço.

A NBR 5410 fixa as condições a que as instalações de baixa tensão devem atender, a fim de garantir seu funcionamento adequado, a segurança de pessoas e animais domésticos e a conservação de bens. Aplica-se a instalações novas e a reformas em instalações existentes, entendendo-se, em princípio, como ‘reforma’ qualquer ampliação de instalação existente (como criação de novos circuitos e alimentação de novos equipamentos), bem como qualquer substituição de componentes que implique alteração de circuito. A NBR 5410 é complementada atualmente por outras duas normas, a NBR 13570 – Instalações Elétricas em Locais de Afluência de Público: Requisitos Específicos – e a NBR 13534 – Instalações Elétricas em Estabelecimentos Assistenciais de Saúde: Requisitos para Segurança. Ambas complementam, Quando necessário, prescrições de caráter geral contidas na NBR 5410, relativas aos seus respectivos campos de aplicação.

Outras Normas complementam a NBR 5410, quais sejam:  A NBR 13570 aplica-se às instalações elétricas de locais como cinemas, teatros, danceterias, escolas, lojas, restaurantes, estádios, ginásios, circos e outros locais indicados com capacidades mínimas de ocupação (n0de pessoas) especificadas. A NBR 13534, por sua vez, aplica-se a determinados locais como hospitais, ambulatórios, unidades sanitárias, clínicas médicas, veterinárias e odontológicas etc., tendo em vista a segurança dos pacientes.

De uma forma geral, a manutenção constitui-se na conservação de todos os equipamentos, de forma que todos estejam em condições ótimas de operação quando solicitados ou, em caso de defeitos, estes possam ser reparados no menor tempo possível e da maneira tecnicamente mais correta. A partir de então, todas as grandes e médias empresas na Europa e América do Norte dedicaram grande esforço ao treinamento do pessoal nas técnicas de organização e gerenciamento da manutenção. 

A manutenção elétrica industrial possui um extenso campo de atuação dentro da indústria, com isso desempenha diversas funções tais como;

Gerenciar Equipamentos – Este processo é bem abrangente, e engloba desde o controle dos equipamentos industriais até máquinas e ferramentas utilizadas pela manutenção.

Tratar Solicitações de Serviços – Este processo trata das solicitações que chegam à manutenção. Estas solicitações incluem os pedidos da área operacional, as recomendações de inspeção, os pedidos da preventiva e da preditiva. 

Planejar Serviços – Este processo é quase instantâneo para serviços simples, mas pode demandar até meses, no caso de planejamento de uma complexa parada de manutenção.

Gerenciar Recursos – Este processo contempla o controle de disponibilidade de recursos humanos e sua distribuição pelas diversas plantas da fábrica. Por controle de disponibilidade significa saber quantas pessoas de cada função estão disponíveis a cada dia nas diversas plantas.

Programar Serviços – A programação de serviços significa definir diariamente que tarefas dos serviços serão executadas no dia seguinte, em função de recursos disponíveis e da facilidade de liberação dos equipamentos.

Gerenciar o Andamento dos Serviços – Neste item se analisa o processo de acompanhamento da execução de serviços ao longo do dia a dia. Ao longo do dia constata-se que determinados serviços não poderão ser executados. Estes serviços deverão ser considerados como “impedidos”.

Registrar serviços e recursos – Neste processo estão compreendidas a “apropriação” de serviços e recursos e o registro de informações sobre o que foi feito e em que equipamento.

Controlar Padrões de Serviços – Este processo abrange o controle de serviços padrões (Ordens de Trabalho Padrão), cadastro de procedimentos e outros padrões pertinentes à manutenção. 

Técnico Eletricista – Profissional com experiência comprovada em instalação e manutenção elétrica industrial.  Deverá ser capaz de efetuar levantamento e leitura de circuito elétrico industrial, bem como efetuar serviços de montagem e manutenção elétrica. utilizando as Normas da ABNT correspondentes e padrões técnicos operacionais.para o serviço, bem como utilizar as recomendações de segurança indicadas. O funcionário deverá zelar pelos equipamentos e aparelhos elétricos utilizados para a execução dos serviços, cuidando dos mesmos e devolvendo-os ao almoxarifado após a utilização.

Instalação e manutenção de Ar condicionado

O condicionamento de ar é o processo de tratamento do ar interior em espaços fechados. Esse tratamento consiste em regular a qualidade do ar interior, no que diz respeito às suas condições de temperatura, umidade, limpeza e movimento. Para tal, um sistema de condicionamento de ar inclui as funções de aquecimento, arrefecimento, umidificação, renovação, filtragem e ventilação do ar. A função de desumidificarão está normalmente associada à de arrefecimento. Alguns sistemas especiais podem incluir outras funções como a de pressurização do ar no interior de determinado espaço. O ar tratado num sistema de condicionamento de ar é designado “ar condicionado”. Na linguagem corrente, o próprio processo de condicionamento de ar é referido como “ar condicionado”. Por extensão, também são referidos como “ares condicionados” os aparelhos destinados ao condicionamento de ar.

Com as mudanças climáticas, a temperatura do planeta exige cada vez mais a utilização de ambientes com temperatura controlada, seja no trabalho ou no descanso do lar. O ar condicionado é um aparelho que assegura a regulação da temperatura, da umidade, da limpeza e da distribuição do ar. Por isso a importância de sua utilização para os dias de hoje. Assim, deverão ser considerados basicamente nos projetos de climatização, três tipos de instalação:

a) Instalação Residencial

b) Instalação Industrial

c) Instalação Comercial 

a) Instalação Residencial – O clima quente predominante em maior parte do Brasil faz com que haja uma procura cada vez maior da instalação de ar condicionado em residências. A grande busca por um aparelho para refrescar o ambiente fez com que o mercado criasse inúmeros modelos que prometem atender a todo tipo de público. A principal demanda por este produto fez surgir no mercado três tipos de ar condicionado a saber:

Ar condicionado Split – O modelo split possui duas partes, sendo uma delas instalada do lado de dentro e a outra na parte externa da casa. Dentre os modelos estão o Split Hi-Wall, que permite ser instalado na parede e acompanha uma evaporadora e uma condensadora; o Multisplit, modelo parecido com o Hi-Wall, porém que permite que várias evaporadoras sejam ligadas em apenas uma condensadora — que deve ficar na parte externa do ambiente — e o Window Split, que é uma mistura de Split e Janela, indicado para quem já possui uma abertura para a instalação do ar-condicionado Janela, porém tem interesse em instalar um Split. Para grandes ambientes, inclusive o comercial, há o Split piso-teto, que permite que sua instalação seja feita no teto ou no piso  e o Split Cassete, que deve ser colocado no centro do ambiente e instalado no forro.

Ar condicionado tipo Janela – Primeiro modelo de ar condicionado a ser apresentado no mercado e instalado numa residência. É possível encontrar no mercado modelos que abrangem diferentes potências, que vão de 7000 BTUs até 30000 BTUs. O modelo tipo janela pode sair um pouco mais em conta do que o Split e são um pouco menores. Esse tipo de ar condicionado ainda é mais compacto e mais fácil de instalar. É instalado normalmente em lugares com espaço previamente programados para tal.

Ar Condicionado Portátil – O ar condicionado portátil é um equipamento único, que pode ser transportado com facilidade para todos os cômodos da casa, só necessitando de uma janela para que o tubo possa expelir o ar quente. Esse modelo pode ainda causar um pouco mais de barulho do que os modelos Split e Janela, já que possui a evaporadora e o compressor no mesmo aparelho. O barulho porém, não é alto a ponto de gerar incômodo e é possível olhar os decibéis antes de adquirir o produto. Este tipo de aparelho é ideal para quem não pode interferir na estética da casa, seja por imposição do prédio ou se o local onde o ar será colocado é alugado e não permite reformas.

b) Instalação Industrial – Comparados com os sistemas tradicionais de ar condicionado que se vêem em lares e escritórios, o tipo de aparelhos instalados em instalações fabris é muito mais potente. A maioria dos sistemas de ar condicionado industrial é centralizado, o que ajuda a verificar se o ar é enviado para todas as partes através da rede de condutas. Serve também para que o ar possa circular rápida e eficientemente através das condutas onde os impulsionadores tenham sido instalados. Na maioria dos locais que tenham ar condicionado industrial, eles são alimentados a gás natural, vez de o serem a electricidade. Isso não só ajuda a reduzir os custos como é também melhor para o ambiente. Tais sistemas industriais serão instalados não só para criar o tipo de ambiente que as pessoas considerem confortável para se trabalhar, mas também para se assegurar de que a maquinaria a operar está a funcionar correctamente. Nas fábricas isto é muito importante, porque é necessário que os níveis de produtividade permaneçam em alta. Quando se trata da instalação destes sistemas industriais há um número de questões de segurança e de saúde que é necessário ter em consideração. A seguir, algumas delas:

a) É exigido que cada local de trabalho forneça a temperatura que seja confortável para se trabalhar durante as horas de expediente. Isto significa que a sala deve ter uma temperatura em que os empregados que nela trabalham se sintam confortáveis e que não seja necessário proverem-se de vestuário especial.

b) Também como parte do Regulamento é necessário que a temperatura dentro de um espaço de trabalho não desça abaixo dos 16 graus Celsius. De qualquer forma, esta temperatura pode ser reduzida até aos 13 graus nos locais onde os trabalhadores exerçam actividades que requeiram esforço físico.

c) No Regulamento também há espaço para as situações em que se prove ser muito difícil manter as temperaturas nos níveis acima mencionados, em determinadas situações. Tais como quando a sala se abre para o exterior ou para onde os produtos ou alimentos tenham de ser conservados frescos e as áreas circundantes tenham de ter temperaturas muito semelhantes às acima mencionadas.

Uma última razão porque a instalação de ar condicionado industrial é crucial quando se trata da saúde e da segurança é relativa aos processos que requeiram aquecimento para os produtos fabricados. Novamente deve-se frisar que este tipo de sistemas industriais necessita de ser instalado de forma a proporcionar um agradável ambiente de trabalho para os empregados. 

c) Instalação Comercial – O sistema de ar condicionado central visa atender basicamente a área comercial. Nesta instalação é importante observar a quantidade de pavimentos da edificação, materiais que serão utilizados, temperatura ideal para o local, espessura das paredes etc. Deverá ser verificada a necessidade de sistemas mais integrados, com controles de climatização por andar ou outras soluções de automação. Para esse tipo de instalações comerciais existem basicamente quatro tipos de sistemas, quais sejam:

Sistema de Ar condicionado Central – É indicado normalmente para grandes projetos, tendo em vista o alto custo, tornando-se porém mais eficiente quando se avalia custo-benefício, com redução acentuada no consumo de energia É fácil de ser identificado, uma vez que utiliza máquinas de grande porte.Normalmente, as torres de refrigeração são instaladas no alto ou ao lado do edifício, com o condensador integrado à torre de arrefecimento, recebendo água à temperatura ambiente ao gás refrigerante, reduzindo a sua temperatura antes de passar pelo compressor. A presença do condensador exige menos energia para comprimir o gás refrigerante quente, trazendo menor consumo de energia, gerando economia para o edifício comercial. O sistema é semelhante ao ar condicionado por dutos, já que a distribuição é feita da mesma maneira. A instalação desse modelo de ar condicionado deve ser feita em paralelo com a construção, reduzindo o custo de sua instalação. Pode ser instalado dentro de três categorias:

1 – Água gelada com fan-coil: No sistema de ar condicionado central, a água gelada que é expelida pelo sistema é distribuída pelo edifício dentro de tubulações, havendo em cada andar uma máquina denominada fan-coil, com um ventilador que joga o ar pela tubulação. O ar perde o calor e é conduzido à rede de dutos espalhada pelo andar. Uma grande vantagem do sistema de ar condicionado central é a concentração de grande carga elétrica junto ao chiller, dispensando tomadas especiais em outros pontos, sendo um sistema mais adequado para projetos que preveem o insuflamento de ar pelo piso ou pelo teto, este geralmente utilizado em shoppings centers.

2 – Termo acumulação: nesta categoria de ar condicionado central, utiliza-se uma forma de acumular o frio em horários estratégicos, tornando o consumo de energia menor, possibilitando o uso de compressores de forma reduzida durante o dia. O sistema trabalha através de programas para acumular água gelada, fazendo com que os equipamentos trabalhem com duas temperaturas, a primeira para fazer gelo e a segunda para refrigeração normal. Para evitar o congelamento da água, utiliza-se um aditivo especial e sua eficiência depende da quantidade de gelo utilizada no processo.

3 – Volume de ar variável, ou VAV – O sistema de ar condicionado central conhecido como VAV é ideal para projetos de edificações com salas fechadas. O VAV é um mecanismo composto por válvulas de vazão com termostato individual, ligadas a um computador central para o controle do fluxo do ar condicionado. Assim, as válvulas monitoram a temperatura de cada ambiente. O sistema pode ser aplicado em lojas, auditórios, espaços de escritórios e inclusive em residências de maior porte.

Sistema de ar condicionado split – Utiliza-se mais de uma unidade de ar condicionado. Em instalações comerciais, este modelo é utilizado em prédios mais antigos que precisam ser climatizados. Nas edificações novas, utiliza-se o uso de multi splits, podendo conter duas ou mais evaporadoras com apenas um condensador.

Sistema de ar condicionado tipo VRV – Este modelo é bastante semelhante ao multi split, embora tenha maior capacidade, podendo se instalar até 64 aparelhos de ar condicionado. O sistema é flexível e versátil, possuindo comandos eletrônicos inteligentes, permitindo que o gás refrigerado seja direcionado para locais onde a demanda é maior. O modelo é adotado geralmente por instalações comerciais menores, onde não existe o sistema central, já que oferece facilidade de expansão e de adaptação.

 Sistema de ar condicionado self – Neste sistema tudo contido numa só máquina é o mais eficiente para instalações comerciais de todos os tipos, que não possuem um sistema central, já que reúne condensadora e evaporadora num gabinete, podendo esfriar um andar inteiro do edifício.

 Sistema de ar condicionado de janela – Esse modelo de ar condicionado é o mais tradicional, já que concentra todos os componentes num mesmo aparelho, fazendo a compressão, condensação, evaporação e ventilação. Trata-se de um sistema limitado, normalmente instalado em escritórios menores e em prédios antigos que não possuem o sistema central.

 A instalação e manutenção de ar condicionado é uma atividade de extrema importância no desenvolvimento dos projetos residenciais e industriais. Para o desenvolvimento dessa atividade, devem ser contratados, ou devem ser envolvidos técnicos altamente capacitados, treinados em todos os níveis de conhecimento, de tal forma a garantir qualidade e redução de custos nos projetos. A instalação dos equipamentos de refrigeração nunca deve ser realizada sem uma análise da pré-instalação e segurança das pessoas e equipamentos. 

 Ao executar os serviços de instalação ou de manutenção nos equipamentos de refrigeração, devem os técnicos atentar para algumas particularidades ao iniciar o serviço, tais como:

a) Consultar as normas e códigos aplicáveis à instalação do equipamento no local selecionado para assegurar-se que o sistema idealizado estará de acordo com as mesmas;

b) Consultar a NBR 5410 “Instalações Elétricas de Baixa Tensão”;

c) Fazer um planejamento detalhado da localização das unidades para evitar eventuais interferências com quaisquer tipo de instalações já existentes (ou projetadas, tais como instalação elétrica, canalizações de água, esgoto, etc;

d) Instalar as unidades de forma que elas fiquem livres de quaisquer tipos de obstrução das tomadas de ar de retorno ou insuflamento;

e) Escolha locais com espaços que possibilitem reparos ou serviços de quaisquer espécies e possibilitem a passagem das tubulações (tubos de cobre que interligam as unidades, fiação elétrica e dreno);

f) Lembrar que as unidades devem estar corretamente niveladas após sua instalação;

g) Verificar se o local externo é isento de poeira ou outras partículas em suspensão que por ventura possam vir a obstruir o aletado da unidade condensadora;

h) É imprescindível que a unidade evaporadora possua linha hidráulica para drenagem do condensado. Esta linha hidráulica não deve possuir diâmetro inferior a 19,05 mm (3/4 in) e deve possuir, logo após a saída, sifão que garanta um perfeito caimento e vedação do ar;

i) Quando da partida inicial este sifão deverá ser preenchido com água, para evitar que seja succionado ar da linha de drenagem. A drenagem na unidade condensadora somente se faz imprescindível quando instalada no

alto e causando risco de gotejamento. 

 Tipos de Aparelhos de Ar Condicionado e suas Aplicações 

 Chiller – Industrial, resfriadores de água, aplicado onde tem circulação de muita gente. Potência de 40 a 250 TR

Set Free – Residencial/Industrial

Climatizadores – Comercial

Split Teto – Industrial

Split Inverter – Residencial/Comercial

Duto Inverter – Comercial

Piso Teto – Residencial/Comercial

Multi Split – Residencial/Comercial

Split Parede – Residencial/Comercial

Janela – Residencial

Cassete – Comercial

Windows – Residencial

Portatil – Residencial 

 Técnico de Refrigeração – Profissional com larga experiência em instalação e manutenção de ar condicionado. Deverá ser capaz de efetuar o planejamento de refrigeração na área solicitada indicando o tipo de refrigeração e aparelho que serão instalados.bem como ser capaz de efetuar os serviços de manutenção necessários, utilizando as Normas da ABNT correspondentes e padrões técnicos operacionais.para o serviço. Todos os trabalhos devem ser executados utilizando as recomendações de segurança indicadas. O funcionário deverá zelar pelos equipamentos e aparelhos utilizados para a execução dos serviços, cuidando dos mesmos e devolvendo-os ao almoxarifado após a utilização..

Administração de condomínios

Gerenciar um condomínio depende muito da experiência e do comprometimento dos profissionais envolvidos. São vários itens que precisam ser observados temporariamente, como atividades operacionais, gestão de pessoas, contabilidade, bem estar dos condôminos e transeuntes e o bom relacionamento com todos. A seguir apresentamos uma relação das principais demandas que precisam de atuação para uma eficiente administração de condomínio.

SÍNDICO – Mantém o pessoal da administração. Exigir registro das ocorrências e providências tomadas

JARDIM – Observar temporariamente as plantas, falta ou excesso de água, pragas e doenças.

LIMPEZA – Limpeza do hall de entrada; recolhimento do lixo – Salão de festa e de jogos, salas de ginástica, e outros espaços de convivência do condomínio devem ser limpos e fiscalizados de acordo com a utilização dos condôminos.

SEGURANÇA – Verificar funcionamento de câmeras de vídeo e gravação

CONTRA INCÊNDIO – Conferir se as escadas estão desobstruídas.

GERAL – Atenção a objetos deixados na garagem e portaria (notificar moradores).

ELEVADOR – Observar se há ruídos e anomalias de funcionamento no elevador e tomar as providências cabíveis.

PISCINAS – Filtragem e limpeza e tratamento da água. 

BOMBAS – Verificar os quadros de comando e tubulações para se evitar vazamentos em torneiras ou canos

Técnico de Administrativo – Profissional atuará na  área de administração de condomínio, podendo trabalhar em horário normal ou no regime de troca de turnos. Poderá atuar como recepcionista, trabalhando na portaria ou executar outros serviços de acordo com as necessidades dos serviços contratados. Deverá zelar do patrimônio da empresa e também da Contratante, cuidando para que os materiais e equipamento utilizados estejam sempre em perfeito estado de funcionamento. Em qualquer situação deverá atuar de acordo com os requisitos básicos de segurança exigidos para o desenvolvimento dos serviços.

Gerenciamento de Suprimentos

O gerenciamento da cadeia de suprimentos é um conjunto de métodos que são usados para proporcionar uma melhor integração e uma melhor gestão de todos os parâmetros da rede: transportes, estoques, custos, etc. Esses parâmetros estão presentes nos fornecedores, na sua própria empresa e finalmente nos clientes. A gestão adequada da rede permite uma produção otimizada para oferecer ao cliente final o produto certo, na quantidade certa. O objetivo é, obviamente, reduzir os custos ao longo da cadeia, tendo em conta as exigências do cliente – afinal, isso é qualidade: entregar o que o cliente quer, no preço e nas condições que ele espera.

Esta gestão é por vezes difícil, especialmente para um sistema que não tenha controle sobre toda a cadeia. Por exemplo, uma empresa que terceiriza uma parcela da produção ou da logística, deixou de ter controle sobre uma parte importante do processo. É difícil também porque a demanda do cliente é desconhecida na maioria das vezes e varia substancialmente de um mês ao outro, o que implica um planejamento da produção mais complexo. Os produtos a serem fabricados também podem mudar (nova estação, moda, modelos, melhorias), o que colocará em evidência a necessidade de uma estratégia de preços e cálculos de custos de fornecimento e estoque.

O problema aparece também em produtos completamente novos, inovadores, onde os modelos prontos não podem ser aplicados e exigem, assim, novas soluções. Por exemplo, projetar uma nova fábrica na China: os produtos seriam entregues para os clientes, após a fabricação, em 6 semanas (por navios). O problema: não se considerou que ambientes salinos podem enferrujar os produtos. Embora neste caso a questão de mudar o tipo de transporte não seja colocada em discussão (pois multiplicaria o custo por 10), é preciso levar em consideração os fatores inerentes ao tipo de transporte e acondicionamento. Para maiores informações sobre a situação dos portos no Brasil e no mundo veja Portos mais movimentados no Brasil e no Mundo e Movimento dos portos brasileiros; para mais detalhes do transporte de cargas no Brasil, veja Custo Brasil – situação do transporte de cargas, Infra-estrutura das rodovias no Brasil, e Logística brasileira: qual nossa situação?.

Vários níveis de planejamento também podem (e devem) ser considerados: estratégico, tático e operacional. Trata-se de conhecer sua própria rede de distribuição já existente com os controles de estoques sendo utilizados e de iniciar uma primeira estratégia de coordenação da entrega dos produtos, iniciada antes mesmo da fabricação dos mesmos. Além disso, devem-se utilizar os modelos de tomada de decisão baseados em programação linear e modelos de transporte, que tornam mais evidentes os custos e as interdependências entre as etapas (veja a Série Pesquisa Operacional – uma visão geral). Passamos, por fim, para as fórmulas e cálculos complicados que um software especializado (ERP) se encarregará de gerir no dia-a-dia.

No exemplo de nosso equipamento enviado por via marítima existe outro problema: o de transbordo. Essas plataformas são usadas apenas para receber produtos e direcioná-los. Há momentos em que ocorrerão gargalos (e outros momentos em que haverá falta de produtos) nesses centros de distribuição. Este é o problema do equilíbrio dos fluxos. Esse balanço garante que todo o fluxo que entra é igual ao que sai. Estas plataformas não produzem e não consomem produtos, apenas encaminham. No entanto, é possível utilizar este ponto de redistribuição como um produtor se, por exemplo, ele embala o produto, aplica um rótulo ou termina uma etapa de montagem.

Técnico de Suprimentos – O técnico de suprimentos atuará nas atividades de recebimento, identificação, especificação, estocagem e distribuição de materiais. Deverá possuir conhecimentos específicos sobre a logística de suprimentos de tal forma a proporcionar um serviços de qualidade ao cliente. Em qualquer atividade, deverá o técnico de suprimentos trabalhar de acordo com padrão operacional prévio e atender as exigências básicas de segurança exigidas. É de responsabilidade do técnico de suprimentos zelar pelos equipamentos e materiais a ele disponibilizadas para a execução dos serviços, devendo devolver estes materiais e equipamentos ao almoxarifado após o término da jornada de trabalho. 

Serviços Gerais

Existem milhares de profissões e funções a serem exercidas em todo o mundo. Entre todas as possibilidades e diferentes características de cada uma das áreas, entretanto, existe um fato em comum: ninguém consegue trabalhar sozinho. De mecânicos a enfermeiros, de médicos a engenheiros, passando por advogados, jornalistas, costureiras, faxineiras, vendedores e administradores, todos contam com uma equipe entrosada e bem ajustada para fazer com que todos os serviços sejam executados da melhor maneira possível. Nesse contexto, está um profissional responsável pelo bem estar no ambiente de trabalho de praticamente todos os outros trabalhadores: o auxiliar de serviços gerais.

O auxiliar de serviços gerais tem entre suas atribuições os serviços de limpeza, manutenção e organização de lugares como: condomínios, prédios comerciais, indústrias, shoppings centers, hotéis e hospitais. Por realizar desde serviços ligados à fiação elétrica até solucionar problemas de encanamento, por exemplo, esse profissional também é responsável por ir atrás de orçamentos e conseguir os melhores preços para os serviços que irá realizar.

De forma mais específica, são serviços gerais funções como executar a limpeza interna e externa do local de trabalho; verificar o funcionamento de componentes de iluminação, encanamento e energia elétrica; repor componentes como papel higiênico e sabonete; realizar vistorias com frequência para garantir o bom funcionamento de todos os itens que ficam sob sua responsabilidade; verificar o funcionamento de materiais de segurança (como extintores e interfones dos elevadores) e executar a possível substituição de peças.

Auxiliar Administrativo – Compete ao auxiliar administrativo de serviços gerais, trabalhar de acordo com as atividades inerentes ao cargo para o qual foi contratado, prestando os serviços de sua responsabilidade com segurança e zelo. Poderá este profissional desenvolver atividades bancárias, de serviços de transporte de materiais, atuar como orientador, bem como prestar serviços de limpeza, organização,  trabalhos na área rural, poda de árvores, limpeza de rua etc. Deverá o profissional de serviços gerais utilizar os equipamentos de segurança indicados para o seu cargo e atividade desenvolvida, bem como devolver ao almoxarifado no final da jornada de trabalho os materiais e equipamentos utilizados para o desenvolvimento dos serviços.

Compliance

Nos âmbitos institucional e corporativo, compliance é o conjunto de disciplinas para fazer cumprir as normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades da instituição ou empresa, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer.

O termo compliance tem origem no verbo em inglês to comply, que significa agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido.

Seja bem vindo ao nosso mais novo site!